Projecto “Ser Comunidade”

No âmbito do Programa BIP/ZIP da Câmara Municipal de Lisboa, a Raízes criou o Projecto “Ser Comunidade”.

“Ser Comunidade” foi um Projecto que interviu com a Comunidade dos territórios, Quinta das Laranjeiras e Casal dos Machados, nomeadamente população adulta e idosa, ao nível do Apoio Social, Promoção da Cidadania e Criação de Emprego local.

 

O Projecto teve como OBJECTIVOS:

  • Dinamizar a participação activa da população no exercício dos direitos e deveres de cidadania;
  • Promover a melhoria da qualidade de vida e o conforto, facilitando o acesso a roupa doméstica e/ou mobiliário;
  • Promover relações de vizinhança saudáveis com a partilha de recursos;
  • Produzir uma acção de empreendedorismo que promova a sustentabilidade e empregabilidade;
  • Capacitar a população para uma participação activa nesta acção, formalizando uma organização que permita a sua continuidade.

 

Em termos globais, o “Ser Comunidade” interviu com cerca de 80 adultos/idosos, de Outubro de 2011 a Março de 2013.

O Projecto facilitou o acesso da população aos seus direitos e deveres, promovendo as suas competências de cidadania activa (“Gabinete de Apoio Administrativo”), melhorando as condições de vida e de conforto das famílias que ao projecto recorreram (“Banco de necessidades de Mobiliário e/ou Roupa Doméstica”) e potenciando relações de vizinhança saudáveis (“Banco do Tempo”).

A sensibilização da população para a partilha de recursos foi um dos grandes desafios do projecto.

  • Através do “Gabinete de Apoio Administrativo”, realizaram-se 170 atendimentos, focados no preenchimento de requerimentos, realização de IRS’s, leitura e elaboração de cartas diversas, contactos telefónicos para serviços como a Segurança Social Directa e a linha de apoio das Finanças. O Projecto tornou-se um local de recurso para a população, centralizando todo o tipo de apoio administrativo e capacitando os beneficiários com vista à sua autonomia.
  • Quanto ao “Banco de necessidades de Mobiliário e/ou Roupa Doméstica”, efectuaram-se reuniões de parceiros para sinalizar beneficiários com esta necessidade e fez-se o levantamento de necessidades de 45 famílias. Com as ofertas de roupa doméstica deu-se resposta a 30 famílias. Na tentativa de corresponder às necessidades de Mobiliário/Electrodomésticos, articulou-se com a Entrajuda, a Worten, a Makro e a BUS.
  • Ao nível do “Banco do Tempo”, inscreveram-se cerca de 20 pessoas, solicitando/oferecendo serviços como Costura, Pintura, Canalização, Engomadoria, Serviço de Limpezas. A crescente adesão gerou uma correspondência mais exacta entre as ofertas e as necessidades, tendo-se estabelecido cerca de 40 trocas de serviços. O Projecto participou no “Encontro Internacional dos 10 Anos de Banco do Tempo em Portugal” e na “Formação inicial do Banco de Tempo”, organizados pelo Graal, tendo dinamizado posteriormente um “Encontro do Banco do Tempo” para a Comunidade.
  • A “Lavandaria Social” não foi possível implementar fisicamente, por dificuldades de execução das obras, no Espaço Municipal atribuído.